-Atelier de roupas e acessórios femininos adulto e infantil.
-Necessaires e presentinhos fofos
-Lembrancinhas em tecido para casamento, aniversário, nascimento e eventos em geral
-Finalização de convites [colocação de fitas e enfeites]

terça-feira, 6 de julho de 2010

Como tudo começou


A Chianca nasceu de uma grande amizade. Um dia, em novembro de 2003, eu estava na sala de espera de uma consulta médica quando minha melhor amiga, Lana, me ligou com a seguinte proposta: - Amiga, vamos abrir uma loja?A gente dá uma arrumada no escritório da tua casa, começa a produzir as roupas e acessórios e bota a Chianca! E assim foi! De lá mesmo já nos encontramos para comprar os primeiros tecidos. Nós duas tínhamos acabado de nos formar em psicologia, ela, exercia a profissão; eu, já estava envolvida com moda e era isso que eu queria fazer. E assim, no dia 13 de março de 2004 nós inauguramos a Chianca com um singelo coquetel para amigos e parentes. A parceria [com a loja] só durou 1 ano, pois sua dedicação com a psicologia não permitiu, mas a parceria na nossa vida dura até hoje, firme e forte, e tenho certeza que será eterna! E eu tenho muito a agradecê-la. Porque, se a Chianca existe hoje, é muito por causa dela. Pois foi ela quem me impulsionou a fazer o que eu poderia demorar muito tempo para começar, ou talvez nunca nem fizesse, quem poderá saber...Por isso, Lana, amiga, muito, muito obrigada!

5 comentários:

Leno Veras disse...

E assim foi.
Por aí vamos!

neusinha disse...

qt à psicologia andrea,eu não faço a menor idéia...mas é certeza que vc nasceu para a moda!só pelo sucesso q suas peças faziam na sala,tinha gente q depois q conheceu,passou a usar soh Chianca-heheheh-e pelo visto vc virou adepta dos blogs,nada mal pra essa nossa "geração internet"e eu q tb sou uma recém formanda em design de moda,boa sorte pra nós =]bjos.

Lana disse...

Como é bom acompanhar uma amiga mais que querida na afirmação de seu talento e de suas possibilidades. Poder participar de seu sonho e acreditar que ele poderia ser realidade. Hoje, sete anos após os primeiros passos da Chianca, lembro de uma reflexão feita por Carlos Castañeda que entreguei à Andrea, no dia de nossa formatura em psicologia, na tentativa de que percebesse que outros caminhos a esperavam. Era assim:
“Qualquer caminho é apenas um caminho e não constitui insulto algum – para si mesmo ou para os outros – abandoná-lo quando assim ordena o seu coração (...) Olhe cada caminho com cuidado e atenção. Tente-o tantas vezes quantas julgar necessárias... Então, faça a si mesmo e apenas a si mesmo uma pergunta: possui esse caminho um coração? Em caso afirmativo, o caminho é bom. Caso contrário, esse caminho não possui importância alguma.”

Que bom que a Andrea não ignorou seus sentimentos e desejos e fez nascer e crescer a Chianca. Usar Chianca não é reproduzir uma tendência ditada na coleção passada de algum estilista europeu, usar Chianca é compartilhar com a criadora de suas peças seus valores de sincera amizade, de espontaneidade, de amor e de integridade. Vestir suas roupas é como desfilar seus sorrisos e seus desejos.
Grande beijo,

Lana

Renata Nascimento disse...

O blog está lindo, colorido, caprichoso, alegre... do jeitinho Andrea de ser! Parabéns, amiga!!! Venho visitá-la sempre, e não só por ser sua amiga, mas também pela qualidade das informações!!
Beijo.

ALINE MOITA disse...

AMEI este post... Da história de um sonho q vi ser cultivado, qdo ainda nem era reconhecido como tal. Sonho gestado ao longo de anos e que nasceu e deu vida a uma CHIANCA que CRIA, que COLORE, que AMA e sabe se fazer AMADA!!!